Tradutor - Translater - Traductor - Traducteur - Traduttore - Översättare - 翻译 - Переводчик

Para seguir este blog coloque aqui o seu email:

Enter your Email


Preview | Powered by FeedBlitz

Slideshow

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo)

Photobucket
Corvo-marinho-de-faces-brancas
ou Phalacrocorax carbo
Photobucket

A característica silhueta de uma ave preta, de bico e cauda compridos, a voar à superfície da água ou com as asas abertas a secar ao sol, rapidamente nos diz que estamos na presença de um corvo-marinho.

Photobucket
Identificação
Esta ave aquática de médio-grande porte chama a atenção por ser quase totalmente preta, tanto pousada como em voo. É claramente maior que um pato, tem um pescoço longo e asas igualmente longas. O bico amarelo contrasta com o preto da plumagem e, no final do Inverno, alguns indivíduos adquirem uma mancha branca em cada flanco e outra na cabeça. É um nadador exímio, que mergulha para apanhar o peixe de que se alimenta.
Pode confundir-se apenas com o corvo-marinho-de-crista, espécie residente, que contudo é mais esguio, não tem branco na plumagem e tem o bico mais fino.
Abundância e calendário
O corvo-marinho-de-faces-brancas é sobretudo invernante em Portugal. Está ligado às zonas húmidas, sendo localmente abundante, podendo ver-se concentrações de dezenas ou mesmo centenas de indivíduos. No interior do país é menos frequente, mas também ocorre junto a barragens, açudes e rios de grande caudal.Está presente no nosso país sobretudo de Setembro a Abril. Contudo, alguns imaturos e indivíduos não reprodutores podem ser observados durante a Primavera e o Verão, embora nesta época a espécie seja relativamente rara em Portugal.

Photobucket

Onde observar
Os melhores locais para observar este corvo-marinho são as grandes zonas húmidas costeiras, ocorrendo também no litoral e em albufeiras do interior.
Entre Douro e Minho – ocorre regularmente no estuário do Minho, sobretudo na Ínsua,
assim como no estuário do Cávado e no estuário do Lima. Também no Cabedelo podem ser encontradas bastantes aves durante o Inverno.
Trás-os-Montes – esta espécie já foi registada na albufeira do Azibo.
Litoral Centro – pode ser facilmente observado no estuário do Mondego, na lagoa de
Óbidos e no cabo Carvoeiro. Ocasionalmente observa-se na foz do Lis, na baía de São Martinho do Porto e na lagoa da Ervedeira.
Beira interior – embora menos abundante que em algumas zonas do litoral, é observado
regularmente nesta região, nomeadamente nas portas de Ródão, na albufeira de Santa Maria de Aguiar, na albufeira de Vilar, na albufeira da Marateca e no Tejo Internacional.
Lisboa e Vale do Tejo – o estuário do Tejo e o Parque do Tejo são alguns dos melhores
locais no país para a observação desta ave, pois a espécie é comum na região durante o Outono e o Inverno. Tambem é frequente observá-la na frente ribeirinha de Lisboa.
Alentejo – espécie comum no estuário do Sado, na lagoa de Santo André e na albufeira
do Alqueva, ocorrendo também na barragem da Póvoa, na lagoa dos Patos e na albufeira do Roxo.
Algarve – espécie fácil de detectar, sobretudo em zonas húmidas costeiras como a ria
Formosa, a reserva de Castro Marim, o estuário do Arade e a ria de Alvor.

Photobucket

10 comentários:

gotadevidro disse...

Beleza presente.

Fotografias tão difíceis de conseguir... Só mesmo uma mão fantástica para apanhar na sua lente momentos detes.

Parabéns amigo

Ver-te e ler-te é e será sempre um privilégio

Que o àmanhã seja sempre melhor que hoje...

beijinho

:)

Sandra Rocha disse...

Como querias que soubesse que tinhas um blogue novo se nada me tinhas dito que mano que eu tenho :(
Mas deixa-me dizer que é uma fantástica ideia.
Como eu adorava fotografar aves mas vá-se lá saber porque me fogem todas eheheh :)

Beijokas e um bom dia.

c.ré disse...

Olá Nuno parabéns pelas belissimas fotos. Tenho muito a aprender de fotografia qualquer dia falo contigo.
Abraço

Carlos Ré

Helena Paixão disse...

Cada uma mais espectular que a outra, como sempre, aliás :-)
Bjocas grandes!

tossan disse...

És um mestre! Belíssimas! Abraço

Assustei meus medos:
quando disse que os enfrentaria,
eles ficaram com medo!

Branca disse...

Lindíssimas fotos!!!

bjo carinhoso pra vc!

Emanuel Azevedo disse...

Trabalho fotográfico de grande perfeição. Qualquer uma das fotos está linda. Os meus parabéns! Um forte abraço dos Açores.

Angela Ladeiro disse...

Descobri... Lindo blog, Nuno. Como gostava de fazer esse curso...infelizmente a minha vida ainda não me dá tanta liberdade de movimentos. Talvez para o ano!!!As fotos estão fantásticas. Um beijinho

paula b. disse...

fico simplesmente deliciada a ver todas estas fotos!
grande mestre, ensina-me!
beijos

Céu Vieira disse...

AAAAAAHHHHH, MARAVILHOSAS!!!!
Parabéns

Acerca de mim

A minha foto
Nasceu na maternidade Bensaúde na freguesia da Nossa Sr.ª de Fátima em Lisboa, no dia 9 de Abril de 1966. Vive presentemente em Mem Martins, concelho de Sintra, distrito de Lisboa. Fotógrafo por paixão, desde bem pequeno sempre admirou os trabalhos de outros fotógrafos mas só de há dois anos a esta parte se dedicou a esta bela arte. Amador e autodidacta, tem tentando aprender os segredos da fotografia; fez recentemente um curso de iniciação à fotografia e pretende fazer mais alguns. Tem ainda aprendido com outros fotógrafos, observando e lendo muito sobre o assunto. Sendo hoje um hobby, gostaria de um dia poder ir mais longe, quem sabe ligado profissionalmente a esta área, hoje é administrador de um site de fotografias nacional: www.fotogenico.net, venha inscrever-se é gratuito. Realizou algumas exposições de fotografia (“Sorrisos” e “Mar”), doando o seu trabalho em prol de um projecto de ajuda aos Mininos di Rua em Cabo Verde. Tem algumas galerias na Internet e um blog onde vai dando a conhecer o seu trabalho. Fotografias de maior interesse: Paisagens, macros, mundo animal, retratos, pôr e nascer de sol, arte digital, desporto e acção, fotografia ligada à nossa história.

Seguidores

GEOCOUNTER

GEOWEATHER

Sons da natureza